quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Ganhei meu dia...

Podem achar muita pretensão... Mas do fundo do coração, acredito que Deus pode mover fisicamente terra e céu para que coisas nos aconteçam e pessoas cruzem nosso caminho! Não tô falando de destino, coincidências ou forças do acaso... (até porque não acredito em nada "acidental" ), mas de Deus te colocar em situações planejadas por Ele para te abençoar. Hoje minha manhã não aconteceu como gostaria... Eu e uma amiga havíamos planejado um passeio que acabou não dando certo porque ficamos presas num treinamento que parecia infinito dentro do navio. Acabou que só tivemos cerca de duas horas pra sair do navio e fazer alguma outra coisa mais curta... E acabamos visitando um museu em Skagway (Alasca) que acabou sendo uma ótima experiência! Voltamos pro trabalho às pressas e minha agenda já estava preenchida com meus atendimentos do dia. A segunda pessoa que atenderia nesta tarde era um simpático senhor, na faixa dos seus 60... Me apresentei, e levei pra minha sala. Já nos primeiros minutos ele já foi contando a vida toda... Que tava com uma dor nas costas porque costuma andar muito de moto... E da dor nas costas já emendou na família de três filhos e nove netos... E que uma vez por ano, ele e dois amigos saem motocando mais ou menos sem rumo certo com o único propósito de ajudar qualquer pessoa que precise de ajuda pelo caminho. Ele, ainda trabalhando como cabeleireiro/barbeiro economiza durante todo o ano e investe suas economias nesta viagem. Acredita que a religião é como um veículo que pode te ajudar a chegar a algum lugar, mas que não passa de um veículo... E na verdade o que interessa é o caminho ou melhor, "O Caminho" e a direção que tomamos... Procura levar o amor de Deus às pessoas que cruzam seu caminho! Me contou que em uma de suas viagens encontrou um casal jovem de brasileiros parados na estrada com um carro quebrado. Ele e o amigo pararam e simplesmente se aproximaram com uma pergunta e um sorriso "Em que eu posso ajudar??". Pagaram um hotel pro casal se hospedar enquanto o carro era concertado, pagaram e ajudaram eles mesmos a concertar o carro, providenciaram alimentação e tudo o que o casal precisava até seguirem viagem. Logo de início, o jovem casal perguntou aos senhores motoqueiros: "Por que vocês estão dirigindo pelo país ajudando pessoas que nem conhecem?!", e eles responderam: "Por que não?!?". Disse imaginar que aqueles "estranhos" sejam conhecidos e queridos por outras pessoas e que se seus próprios conhecidos, queridos estivessem em alguma situação precisando de ajuda, gostaria que quem estivesse por perto ajudasse-os! E afinal... Por que não?! Justifica seus atos em uma coisa: amor! Ama pessoas, ama a história das pessoas, ama compartilhar o amor que sente recebido de Deus com os outros... Disse que fazer o bem só por "caridade" não é de todo bom... Temos que olhar pro outro como se fosse um pedaço do próprio Deus! No meio do tratamento... Depois de alguns segundos de silêncio, soltou essa: "Ah! E não se case com alguém que não seja completamente apaixonado por Deus! Se um homem não sabe amar a Deus, nunca saberá amar uma mulher!" Respirei fundo, e tentei continuar concentrada em ajudá-lo com sua dor nas costas... Afinal era esse o propósito do atendimento! Mas no final, acho que a dor nas costas foi só uma desculpa que Deus usou pra mandar um senhorzinho nos seus 60 anos pra alimentar minha alma... Conversamos sobre muito mais do que sou capaz de traduzir em palavras aqui... E nem preciso contar que olhos marejaram... E de uma coisa eu estou certa: não há nada mais espetacular neste mundo do que pessoas... Pessoas que tem história pra contar... Que olham nos olhos pra conversar... Que escolhem amar mais aos outros do que a si mesmo... Que nunca estão cansadas de dividir o que na verdade quanto mais se reparte mais se multiplica: AMOR! Ganhei meu dia... Um dia quero fazer alguém "ganhar um dia" também...

Um comentário:

  1. Quem quer andar de moto comigo?!
    hehehe...

    Muito chique Cila! (como diz pai)

    O mais importante não é quem nós encontramos no meio do caminho, mas sim que sejamos próximos deles!

    ResponderExcluir